segunda-feira, 5 de novembro de 2007

Social Futebol Clube

O que faz uma pessoa apaixonada?













Várias loucuras talvez seja a resposta mais adequada. Ao longo da sua paixão, o apaixonado chora, grita, sorri, exagera, extrapola e sai de si. A paixão aumenta, diminui, mas nunca acaba. Nunca!

Somente em um caso a paixão e o amor são a mesma coisa: no futebol. Elas se confundem ao se tentar explicar.

O amor pelo futebol começa cedo, desde menino, correndo atrás da bola, que nem sempre é redonda, chutando para um gol, que por muitas vezes é imaginário, assim como os jogadores, juiz e regras. O que importa naquele momento é o seu jogo, suas regras e a sua vitória.

A criança cresce ouvindo que moramos no “país do futebol”, ouve seu pai dizer com orgulho que o time dele tem que ser o seu, e que é, sem sombras de dúvidas, o melhor time do mundo, mesmo que seu Tio diga o contrário.

Na escola, a disciplina mais importante e aguardada é a Educação Física. E coitado do professor que ouse por um dia sequer, mencionar a palavra Voley.

Daí em diante o dever do pai está feito, ele se sente orgulhoso em ver seu filho, um fanático torcedor do seu clube e camisa 10 do time da rua debaixo, nas horas vagas.

O Futebol é social, em todos os sentidos existentes. Em cada canto deste país tem uma criança pulando atrás de uma bola, se divertindo, discutindo escalações e pleiteando um lugar ao sol.

Para ser um bom jogador de futebol basta ter alegria, paixão e imaginação. Se tornar profissional é apenas um detalhe perto da importância de ser torcedor e peladeiro. Deixa que eles façam o espetáculo, nós sabemos imaginar, ousar e ser campeões.


“O futebol é a coisa mais importante dentro das menos importantes”.


Bom jogo!


* as fotos utilizadas neste post foram retiradas do site Flickr http://www.flickr.com/people/beija-flor/. Fotógrafo: Carf.


8 comentários:

  1. Ramon José Milani Martins5 de novembro de 2007 16:02

    Belo texto meu primo. Concordo com o que vc escreveu e ainda acrescento. Quem nunca sonhou em ser profissional e fazer o gol do título no time rival aos 45 do segundo tempo?Ter seu nome gritado pela torcida, tirar a camisa e "jogar pra galera da geral"!Acredito que essa paixão e amor se confundem, além dos motivos citados no texto, pela situação social do nosso país. Uma das poucas diversões que a grande parte da população tem é o campinho da várzea, é ir "bater uma pelada" com os amigos. Tanto que a maioria absoluta de nossos craques que brilham mundo a fora saem de baixo e uns se perdem no caminho justamente por se deixarem vangloriar com tamanho sucesso e dinheiro repentinamente. Mas isso já é uma outra discussão. Novamente parabéns e pode contar com minha presença constante aqui. Um forte abraço!

    ResponderExcluir
  2. Quem não sonhou e quem não sonha até hoje. E quem não passa raiva em peladas de fim de semana. arf...

    Não sabemos explicar qual é o lance do futebol mas que rola uma paixão rola. Quando seu time joga acontece algo diferente.

    E não sei de outro esporte que movimenta o mundo todo. Vai ver que é porque é uma bola. (sem querer parafrasear os inspirados jornalistas da globo com o seu balé do futebol, pqp).

    A loucura é tanta que a gente torce até pro video-game! Nós é que sabemos!

    abraco!

    ResponderExcluir
  3. Wilson Milani(Dog)9 de novembro de 2007 11:57

    Esse texto veio em boa hora. Algumas semanas atrás, tivemos a confirmação do Brasil como país sede da Copa do Mundo de 2014. Após 64 anos, "o país do futebol" volta a receber em seus braços o maior evento esportivo de futebol do mundo. Além do esporte, vários outros setores se beneficiarão com a Copa, como: econômico, político e, principalmente, o social. Essa é uma ótima oportunidade para mostrarmos ao mundo o perfil do brasileiro e quebrarmos de uma vez por todas alguns rótulos que nos são impostos.

    Obs.: Gostei da foto. Tem um garoto com a camisa do Timão! hehehehe...


    Um forte abraço!

    ResponderExcluir
  4. Mesmo no país do futebol, é impossível não se assustar com uma mulher que goste de futebol. E hoje não é mais uma exceção à regra.
    Sempre que comento isso com alguém, às vezes numa roda de conversa, tem alguém que pergunta: "você gosta mesmo?" Gosto.
    Sou daquelas que gosta de ir ao mineirão, de assistir futebol em butequo, de ficar na quarta até tarde da noite assistindo pela TV.
    Somos tão apaixonadas quanto vocês. A diferença é que torcemos, choramos, vibramos, mas continuamos arrumando nosso cabelo, fazendo nossas escovas, nossas unhas, como se nada tivesse acontecido.
    O amor tem vários lados.
    Isso não quer dizer que não somos apaixonadas por futebol. O amor tem várias possibilidades....

    E dá-le Cruzeiro....

    ResponderExcluir
  5. Juliana,

    concordo com tudo que disse, menos o final. heheheh!

    Abraços.

    ResponderExcluir
  6. Ainda bem!

    Imagina um atleticano concordando comigo????????


    bjs

    ResponderExcluir
  7. só tenho uma palavra pra finalizar esse assunto:

    SANTOS!

    ResponderExcluir
  8. Vamos estrear!
    "Somente em um caso a paixão e o amor são a mesma coisa: no futebol." De muita sabedoria essa frase. E como é bom ser um apaixonado por futebol. Como é bom torcer, gritar, discutir, ir ao Mineirão (nossa, há quanto tempo não vou...), sofrer e depois dar a volta por cima... A emoção do futebol, não se explica. E pobre de quem não tem um time para torcer, não tem a felicidade de comemorar um título, uma vitória no apagar das luzes ou até mesmo um simples gol em um amistoso. E felizes de nós, que desde pequenos temos o futebol pra nos alegrar. Saudações!

    ResponderExcluir